Facebook Twitter Youtube Linkedin |

Almoçar fora em Niterói é mais caro que no restante do País

Um estudo divulgado pela Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT) mostra que é mais caro almoçar fora de casa em Niterói do que em todo resto do país. A cidade tem o almoço mais caro do Estado, com preço médio de R$ 40,08, seguido da capital fluminense, com R$ 39,74. Um valor acima da média nacional, que é de R$ 34,84.

O números são resultado da pesquisa “Preço Médio da Refeição Fora do Lar”, realizada anualmente pela  Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT). O estudo foi feito em 22 Estados e no Distrito Federal, num total de 51 municípios, e coletou quase 6,2 mil preços de pratos, no período de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019.

De acordo com o estudo,o trabalhador da Região Sudeste é o que mais gasta para almoçar fora de casa, em média,  R$ 39,01. E no topo desse ranking, três cidades do Estado apresentam valores mais altos que a média no país: Niterói, Rio de Janeiro e Macaé, sucessivamente.

O valor está acima da média nacional, de R$ 34,84 e da média apurada no Sudeste, que foi de R$ 35,72.

 Os preços variaram muito de cidade para cidade, de acordo com a realidade econômica local. Mas levando em conta a média nacional, o valor desembolsado mensalmente com almoço fora de casa fica em torno dos R$ 766,00, o que corresponde a 34% do salário médio do brasileiro.

Nilópolis é onde o trabalhador desembolsa menos para almoçar fora de casa no Rio de Janeiro: R$ 30,16. O município também está entre os dez mais baratos do País.

O reajuste de preço do almoço na capital fluminense seguiu percentual do apurado na média nacional. No ano passado, almoçar na cidade do Rio de Janeiro custava R$ 38,97 contra R$ 39,74 neste ano: um aumento de 2% (o reajuste do preço médio nacional foi e 2,1%).

Os dados foram foram apurados pela GS & Inteligência. Foi considerado o preço da refeição composta por: prato principal, bebida não alcoólica, sobremesa e café, na hora do almoço, em estabelecimentos que aceitam voucher refeição como forma de pagamento.

Leia a matéria original em: O Fluminense