Facebook Twitter Youtube Linkedin |

Congresso de Expansão de Redes 2018 abre 2º dia da ABF Franchising Week

“Juntos somos o franchising brasileiro – Propósito, Transformação e Colaboração”, lema do evento neste ano, permeia toda a programação da ABF Franchising Week 2018. No seu segundo dia, o megaevento apresenta o 4º Congresso de Expansão de Redes, iniciado com um panorama do franchising brasileiro apresentado pelo presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior.

“O franchising deixou de ser um canal e passou a ser uma plataforma de negócios”, disse Cristofoletti. O setor representa hoje 2,5% do PIB de 6,559 bilhões registrado ano passado, com mais de R$ 163 bilhões de faturamento. “Isso é muito relevante”, ressaltou o presidente da ABF. Ele enfatizou, ainda, que o sistema de franquias no Brasil emprega 1,19 milhão de trabalhadores diretos, o que equivale a 3,1% dos empregos formais no País.

Cristofoletti fez, ainda, um overview da 27ª ABF Franchising Expo que começa nesta quarta-feira (27/6) e vai até o próximo dia 30.

Para o presidente da ABF, “a sinergia e a interdependência entre franqueadores e franqueados são fatores que tornam o sistema de franquias tão virtuoso”. O franchising nos últimos anos, mesmo com toda a adversidade dos negócios no Brasil, vem crescendo”, observou. E, segundo ele, não foi por acaso, mas em virtude de investimentos das redes em melhorias de processos, ganhos de eficiência, redução de custos, inovação, tecnologias, dentre outros fatores.

Franchising forte, ético e perene

Os “norteadores para o franchising forte, ético e perene” foram detalhados por Fernando Tardioli, diretor jurídico da Associação. “É preciso respeitar o Código de Ética da ABF, pois ele reflete as melhores práticas do franchising no Brasil e no mundo”, ressaltou Tardioli, e completou: “Os princípios éticos são inegociáveis”.

Tardioli falou a respeito da importância da análise de franqueabilidade do negócio, do processo de formatação, da relação entre franqueador e franqueado, dentre outros importantes assuntos que norteiam a estruturação de negócios fortes, éticos e perenes no setor. “A indicação do perfil do franqueado e o seu nível de envolvimento na operação são fundamentais”, afirmou.

O advogado tratou, ainda, da relevância de se ter um Contrato de Franquia o mais claro e completo possível e do cuidado na elaboração da Circular de Oferta de Franquia (COF), que é um instrumento jurídico importante que antecede a efetivação ou não do contrato.

Lyana Bittencourt, sócia-diretora do Grupo BITTENCOURT, teceu uma análise sobre como o modelo de negócio pode influenciar a expansão da rede.

Para a especialista, a jornada do franqueado é feita em três steps: investigação e iniciação, transpiração e consolidação, e maturação e revisão. “Nesta fase, o que alimenta e engaja o franqueado é o sucesso”, afirmou. Segundo ela, este é o momento de revisar os negócios para que eles continuem perenes. E para que uma marca seja contemporânea, a executiva defende que a empresa busque benchmarkings internacionais, avalie tendências e de fato busque o novo.

Lyana chamou os participantes à reflexão por meio de questões fundamentais, como : a sua marca tem propósito, ainda reflete a essência do seu negócio, assim como seu ponto de venda?

Para a executiva, entre os principais passos para criar uma cultura positiva no franchising estão “todas as ações guiadas pelo propósito e pela cultura da empresa, valores que reflitam o jeito de ser da marca e possam diferenciá-la e torná-la única”.

Leia a matéria original em: ABF