Facebook Twitter Youtube Linkedin |

Governo lança campanha nacional de liquidação

O governo federal lançou oficialmente ontem a Semana do Brasil, período entre 6 e 15 de setembro na qual o varejo fará promoções para estimular vendas e girar estoque. Em anúncio durante a Latam Retail Show, o secretário especial da Comunicação do Palácio do Planalto (Secom), Fabio Wajngarten, afirmou que a iniciativa nasceu da própria Secom e contou com apoio do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV).

A criação de uma nova data comercial no calendário brasileiro, a Semana do Brasil, veio com o objetivo de impulsionar o setor de varejo neste ano, segundo o conselheiro do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), Marcos Gouvêa. O período de 6 a 15 de setembro foi escolhido devido à ausência de estímulos ao consumo no mês, casando com as comemorações do Dia da Independência do Brasil.

“Entre 2004 e 2014, tivemos um período áureo no varejo. Depois andamos pra trás e agora estamos andando de lado. O Brasil só vai pra frente à medida que o setor privado conseguir se articular e fazer as coisas acontecerem”, disse Gouvêa durante a Latam Retail Show. O desejo é que o consumidor tenha um benefício real, na forma de descontos e gratuidades.

Mais de 40 associações já demonstraram apoio à Semana do Brasil e está prevista a participação de entidades de comércio, atacado, bancos, agências de viagem, entre outras. “Vamos transformar isso num marco nesse processo de retomada da economia”, afirmou Gouvêa. A maior parte das companhias não revelou qual será sua estratégia, com receio de serem copiadas, segundo Gouvêa.

A projeção dos varejistas é que a data funcione como estímulo incremental de vendas e não concorra com outras iniciativas do tipo, como a Black Friday, que acontece em novembro. “Na dinâmica do varejo, dois meses é uma eternidade”, afirmou Gouvêa.

Bahia

De acordo com a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Bahia (FCDL) e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL Salvador), cerca de 7 mil estabelecimentos devem participar da ação no estado, conforme foi divulgado no início do mês pela reportagem de A TARDE.

A projeção é baseada na tradicional participação de lojistas na campanha Liquida Salvador, que tem as mesmas características de oferta de descontos pretendida pela Semana do Brasil em âmbito nacional. As entidades baianas não esperam resultados muito otimistas neste primeiro ano do evento, mas apoiam a iniciativa.

Matéria original publicada em: A Tarde