Facebook Twitter Youtube Linkedin |

Latam Retail Show divulga manifesto com apoio de 33 entidades

Mais uma vez a Latam Retail Show foi um sucesso, reunindo milhares de profissionais e empresários do varejo brasileiro. E como não poderia deixar de ser, a conjuntura e os rumos do país foram debatidos nos diversos painéis de debates realizados no evento. Diante da frágil situação do país, os organizadores divulgaram um manifesto em formato de Carta, com o apoio de 33 entidades de classe.

No cenário global, definitivamente, vivemos tempos voláteis, imprevisíveis, e em profunda e constante transformação.

Na realidade nacional, muitos outros elementos devem ser acrescidos ao já instável quadro global, tornando a atividade empresarial muito mais complexa e desafiadora. Quando não desestimulante e frustrante.

Os períodos recentes foram marcados pelo crescimento da corrupção, pelo desvio de recursos, pelo desvirtuamento do papel do Estado e pela política do compadrio que deixaram um enorme legado de problemas a serem resolvidos.

Foram anos em que regredimos em termos econômicos, políticos e sociais, e onde Educação, Segurança e Saúde, atividades de responsabilidade indissociável do Estado, não foram sequer cuidadas da forma como deveriam.

Períodos onde perdemos talentos para as oportunidades além fronteira, frustrados com a situação e as perspectivas locais.

Períodos onde ser empresário, dirigente ou profissional, especialmente no comércio e no varejo, se tornou mais difícil e desafiador pelos equívocos cometidos na condução dos assuntos de responsabilidade do Estado. E, em parte, por nossa própria omissão.

Não mais pode ser aceito que nossa história, nossa sociedade e o sonho de um País melhor sejam tratados de forma simplista e apenas ao sabor dos interesses de curto prazo.

Precisamos encarar a realidade que o País só será viável e saudável se enfrentar os desafios das reformas estruturais, especialmente a Previdenciária, a Tributária e a Política, com os riscos inerentes da eventual impopularidade por sua implantação.

No momento em que o Brasil se prepara para decidir quem o conduzirá no próximo período presidencial, bem como os nossos representantes no Congresso Nacional, as entidades e associações de todos os setores relevantes que envolvem o consumo, o comércio e o varejo – os maiores empregadores privados do País – se unem para manifestar sua determinação de atuarem em prol da construção de um Brasil mais justo socialmente, mais ético nos negócios e nas relações empresariais e comprometido com um projeto de longo prazo que potencialize seus recursos, competências e vocações.

Estamos todos sensibilizados que não será com palavras ou manifestos que mudaremos o que ocorreu nos últimos tempos.

Por isso mesmo, convocamos todos aqueles que estão comprometidos com um projeto de um País maior e melhor na política, na economia e nos temas sociais, a estarem conosco para tornar essa proposta uma realidade.

Talvez seja esta uma das mais importantes oportunidades para nos envolvermos de forma decisiva para construirmos o futuro que queremos, com as transformações estruturais que não mais podem ser adiadas.

Quem é do comércio e do varejo sabe ouvir e interpretar as demandas emergentes.

Ou mudamos ou estaremos nos condenando a ficarmos cada vez menos relevantes globalmente e seremos cobrados por gerações futuras pelo legado de um país dilapidado.

O empresário nacional dos setores de comércio e varejo quer transformar de forma positiva o Brasil e este é o momento definitivo de assumir esse compromisso publicamente.

Este é o texto da carta que, pela primeira vez, foi assinada por 33 entidades nacionais e regionais ligadas aos setores de Comércio e Varejo, manifestando sua posição sobre o momento do País. O material foi elaborado e divulgado no encerramento da quarta edição do Latam Retail Show.

ABAAS – Associação Brasileira dos Atacadistas de Autosserviço;
SINDILOJAS SÃO PAULO;
ABCOMM – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico;
ABEMD – Associação Brasileira de Marketing de Dados;
ABF – Associação Brasileira de Franchising;
ABIESV – Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo;
ABMAPRO – Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização;
ABRAL – Associação Brasileira de Licenciamento;
ABRALOG – Associação Brasileira de Logística;
ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados;
ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes;
ABVTEX – Associação Brasileira do Varejo Têxtil;
ACELERA VAREJO;
ABVP-PE – Associação de Dirigentes de Venda e Marketing do Brasil – Pernambuco;
AGV – Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo;
AMPRO – Associação de Marketing Promocional;
ANAMACO – Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção;
ASBRA – Associação de Supermercados de Brasília;
ASSESPRO – Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – São Paulo;
CDL-Fortaleza – Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza;
CDL-POA – Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre;
CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas;
FCDL – Bahia – Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Bahia;
FCDL-CE – Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Ceara;
FECOMERCIO – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo;
IED – Instituto Europeo di Design – Brasil;
O NEGÓCIO DO VAREJO  PLURAL;
RDI – Retail Design Institute Brasil;
SINCOVAGA – Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios;
IFB – Instituto Foodservice Brasil;
IDV – Instituto para Desenvolvimento do Varejo;
LIDE COMÉRCIO – Grupo de Líderes Empresariais do Comércio.

Leia a matéria original em: Promoview