Facebook Twitter Youtube Linkedin |

Loja com conceito omnichannel e a sustentabilidade no varejo foram pautas no 28º Backstage do Varejo

“Não basta ser Omnichannel, a marca tem que ter alma”, disse Sandra Hayashida, sócia-diretora da GS&Digital, que fez parte da equipe que desenvolveu a Omnistory Ayrton Senna, em palestra que abriu a 28ª edição do Backstage do Varejo, evento bimestral, promovido pela Abiesv – Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo, hoje (quinta-feira, 8.11), na FAAP.

A Omnistory Ayrton Senna (loja física no Shopping Villa Lobos e também digital) tem cerca de 200 produtos, como capacetes icônicos, miniaturas de carros pilotados por Senna, bonés e mochilas. A loja é uma integração entre o universo físico e digital, que tem o objetivo de oferecer melhor experiência de compra para os consumidores e promete potencializar vendas e resultados. Entre as inovações está a possibilidade de o cliente comprar um produto pelo celular, de dentro ou fora da Omnistory, e retirá-lo na loja ou receber em casa.

“Ao saber do pedido de sua criação, logo percebi que era um grande desafio. Uma das novidades é que pela primeira vez uma loja de Shopping Center recebe a tecnologia LED na fachada, com resoluções de 3,9mm. E, antes mesmo de entrar na loja, se avista um capacete girando no ar. Tudo isso atrai e instiga o consumidor”, conta Sandra. “Tem, ainda, o Espelho Inteligente, que reconhece o consumidor com um produto e recomenda outro para combinar”.

A especialista explica que há também as etiquetas inteligentes, gestão de estoque, precificação e promoção em tempo real. Tudo acontece de forma digital. Sandra ressalta que o treinamento da equipe é essencial. “Os profissionais sabem contar toda a história de Ayrton Senna, apesar muitos terem nascido após sua morte”.

Outra palestra do evento foi a do publicitário Márcio Mendes, diretor de Relações Institucionais do comitê de Relações Sustentáveis da AMPRO, associação brasileira de Live Marketing e diretor da Abraps — Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável. Mendes falou sobre a importância da atuação dos profissionais de varejo na construção de lojas e modelos de negócios mais sustentáveis e como isto impacta positivamente nos resultados das organizações. “O destino do varejo e de qualquer outro negócio é o desenvolvimento sustentável”. O especialista diz que o varejo tem a capacidade de conduzir algo muito maior no âmbito da sustentabilidade do que qualquer outro elo da cadeia, mais do que a indústria, por exemplo. “E o retorno é enorme para a marca”, conclui o especialista, quedesenvolve a plataforma M(S) – Mundo Sustentabilidade (www.mundosusntentabilidade.com) para promover o consumo e a produção responsáveis.

O publicitário também apresentou para a plateia o Manifesto17:30 (www.manifesto1730.com.br), programa que pede a adesão de todos os profissionais do mercado aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU / PNUD.

Outra apresentação foi de Chicko Souza, fundador e CEO da Plataforma Verde.

“O descarte é um ponto importante que normalmente é deixado de lado”, afirma. Segundo o empreendedor, muitas empresas têm se preocupado em construir programas para reduzir o desperdício e as despesas, mas ainda têm dificuldade em saber como aumentar o desempenho e criar novas receitas com o lixo gerado. “A melhor forma de fazer isso é digitalizando o lixo e garantindo a gestão de tudo o que é gerado pela empresa. Programas de sustentabilidade em geral ajudam a garantir um impacto positivo na sociedade e no meio ambiente”.

O Backstage do Varejo teve, ainda, uma mesa-redonda, da qual participaram Priscila Mifano, Head Expansão – Projetos – Obras na Zódio Brasil, e Bianca Borges Santini, Franchising Manager at Mash. A mediação foi de Renato Muller, jornalista e sócio da Kafer Studio.

Bianca conta que primeiro estruturou o canal online da Mash, depois o físico. “Sempre criando uma uniformidade da mensagem da marca para o cliente”. Segundo a especialista, a Mash foi concebida com móveis modulares e versáteis, o que permite de tempos em tempos se dar uma cara nova para a loja. “Temos um conceito de sem vitrine e um monitor de LED na fachada da loja”, conta Bianca, que também diz que a Mash tem implantado a sustentabilidade em pequenas atitudes. “Esse trabalho valoriza a marca e é um diferencial perante os concorrentes”, finaliza.

Já Priscila diz que estão estruturando a equipe para lançar o Marketplace da Zódio, megaloja do grupo francês Adeo, mesmo da Leroy Merlin, que traz produtos para decorar (inclusive do mercado de Pets). “Cerca de 20% do espaço de salão de vendas é destinado a experiência do consumidor. Tem uma casa montada com decorações criativas e ateliê para cursos. A loja toda é bem colorida, com produtos coloridos”, conta Priscila. Segundo a profissional, a sustentabilidade é um compromisso da Zódio, que tem o certificado AQUA (de alta qualidade ambiental). “E temos muitos produtos eco- responsáveis, inclusive de beleza”, completa.

O Backstage do Varejo, criado em 2012, já reuniu mais de 2500 pessoas, de média à alta gerência, especialistas e profissionais autônomos. Discute temas que compõem o dia a dia do setor, como: gestão de pessoas, visual merchandising, iluminação, tecnologia, expansão e roll out no varejo; entre outros. Atualmente, tem o patrocínio das empresas Kemp, Lemca Iluminação e Omega Light. E o apoio da Associação Brasileira de Franchising -ABF, Associação Brasileira de Shopping Centers- Abrasce, Associação Comercial de Campinas – ACIC, Espaço APAS, e da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo – SBVC.

Leia a matéria original em: Patricio Nunes